Separação de pedidos (picking): como implementar na transportadora?

3 minutos para ler

A separação de pedidos pode ser considerada uma das atividades mais críticas do processo logístico. Disposição dos produtos, movimentação interna e expedição são tarefas essenciais que dependem da organização dentro do armazém.

Por esse motivo, a otimização do picking, como também é chamada a separação dos pedidos, recebe grande atenção por parte dos gestores. Existem diversos modelos que podem ser implementados de acordo com a natureza do negócio e a disponibilidade de espaço.

Elaboramos este conteúdo para demonstrar como colocar este método de trabalho em prática. Continue lendo para saber todos os detalhes!

O que é e quais são os tipos de picking?

Em termos simples, o picking é a forma como a empresa organiza o seu processo de separação dos pedidos de compra. O objetivo é nortear o trabalho dos operadores e agilizar o processo de entrega.

Essa prática ajuda a garantir que o armazém mantenha-se organizado com o intuito de facilitar a localização e minimizar a incidência de erros. Para isso, é importante conhecer quais são os principais tipos e como cada opção é mais adequada para cada empresa.

  • Picking por lote: nesse modelo cada operador é responsável por coletar um lote de pedidos de forma conjunta. Essa estratégia pode ser usada por empresas que recebem pedidos com poucos itens e assim não geram atrasos;
  • Picking por zona: para facilitar a coleta, o armazém é dividido em diversas partes e cada trabalhador atua com a respectiva zona. É recomendada para empresas com grandes áreas de estocagem e que precisam diminuir o tempo gasto com deslocamento para localizar os itens;
  • Picking por onda: designa um trabalhador para cada tipo de produto para separar uma quantidade de pedidos por turno de trabalho;
  • Picking discreto: é o modelo mais simples no qual o operador coleta um artigo por vez até completar o pedido. Nesse caso, a proximidade com as mercadorias é essencial para evitar longos períodos de deslocamento.

Quais são as vantagens da separação de pedidos?

Os sistemas de picking vão além do simples manuseio de produtos para a expedição. Trata-se de uma atividade importante que tem relação com o processo de entrega, pois possibilita o envio das ordens o mais rápido possível.

Além disso, propicia a construção de um relacionamento sólido com clientes, uma vez que atua para garantir o recebimento de todos os itens em perfeitas condições. Por isso, entendemos que o picking pode ser considerado uma vantagem competitiva que favorece a operação logística ao:

  • reduzir o número de devoluções;
  • ajudar a aumentar a produtividade da área;
  • minimizar os custos com logística reversa e reentrega;
  • facilitar o manuseio de artigos de grandes proporções;
  • reduzir o volume de pedidos enviados com erro ou incompletos.

No decorrer deste artigo, tentamos demonstrar como a separação de pedidos tem se tornado cada vez mais relevante na gestão de estoque. Fica claro como as empresas que são negligentes quanto ao acompanhamento desse processo estão sujeitas a enfrentar a queda de produtividade e de eficiência — e, nos casos mais graves, pode impactar os clientes.

Por isso, se você acredita que este é um tema que merece mais atenção, que tal compartilhar este post nas redes sociais? Ajude a disseminar esse conhecimento!

Posts relacionados

Deixe um comentário