indicadores de desempenho indicadores de desempenho

5 indicadores de desempenho logístico que você precisa acompanhar

6 minutos para ler

O crescimento de um negócio é o resultado de seu constante aprimoramento e planejamento estratégico. Para isso, o gestor deve estar preparado para buscar formas de aumentar a eficiência da empresa, minimizar custos e simplificar processos.

Um dos meios de alcançar esses objetivos é a adoção de indicadores de desempenho selecionados de acordo com as atividades de maior impacto na organização. Isso quer dizer que é preciso acompanhar as finanças, o gerenciamento da frota e o monitoramento das entregas.

Preparamos este post para que você conheça mais sobre o assunto. Confira!

O que são indicadores de desempenho?

Você sabe qual é o faturamento mensal da transportadora na qual atua? Você tem informações sobre os custos com a manutenção da frota? Você sabe qual é o prazo médio de entrega? Todos esses são exemplos de informações que podem ser representadas por meio de indicadores de desempenho. Em outras palavras, esse é um elemento de gestão empresarial que busca monitorar periodicamente o andamento de uma operação.

Muitas vezes, o termo KPI também é utilizado para designar esse processo. A sigla em inglês Key Performance Indicator mostra que é preciso escolher quais são os indicadores chave que serão acompanhados com base na sua relevância.

Desse modo, o gestor dispõe de visibilidade sobre os dados coletados para:

  • encontrar gargalos na operação;
  • identificar formas de reduzir custos;
  • implementar melhorias em áreas estratégicas; 
  • tomar decisões sobre o futuro da organização.

Afinal, sem dados confiáveis não é possível conhecer a realidade do negócio e o que esperar do futuro.

Como colocar essa metodologia em prática?

Para dar os primeiros passos na apuração de indicadores de desempenho é necessário começar com uma simples decisão: quais atividades devem ser medidas? Cada tipo de empresa tem particularidades que demonstram como essa avaliação deve ser feita de forma individualizada.

Mas existe um direcionamento que pode te ajudar a colocar essa técnica em prática. Busque identificar quais são os processos que interferem diretamente no resultado da empresa. No caso de uma transportadora, a movimentação de mercadorias é uma área que precisa ser monitorada.

É preciso ter acesso a relatórios relacionados ao volume de entregas, aos custos operacionais e ao nível de satisfação dos clientes. Em geral, esse tipo de apuração se baseia em métricas quantitativas. Portanto, a recomendação é gerar relatórios gerencias com base em tabelas e gráficos.

Além disso, existe o elemento temporal que garante a sua efetividade. Cabe ao gestor determinar qual deve ser a periodicidade adotada. Relatórios mensais são utilizados com frequência, pois permitem a verificação da sua evolução no decorrer do ano.

Quais são os principais indicadores de desempenho logístico?

Superar os resultados é um desafio que requer constante controle por parte da equipe gestora. Não basta somente distribuir relatório, afinal, essa é uma ferramenta que incentiva ação para solucionar problemas e corrigir erros.

Por isso, confira a nossa lista com os indicadores de performance mais importantes para a operação de transportes:

1. Percentual de entregas no prazo

Esse indicador indica a capacidade da transportadora de cumprir com os prazos acordados com seus clientes. Em geral, clientes e operadores logísticos assinam um documento chamado de SLA, ou Acordo de Nível de Serviço, em português.

Nele estão descritos os requisitos que devem ser cumpridos, entre eles os prazos de entrega e outras formas de controle que afetam a satisfação do cliente. A forma de cálculo é bastante simples: basta comparar o total de entregas realizadas no período com o número de pedidos entregues dentro do prazo.

Com essa informação em mãos é possível tratar os desvios da meta, identificado as causas que resultaram em atrasos e como implementar medidas corretivas.

2. Utilização da capacidade de carga

Esse é um indicador com diversas ramificações dentro do processo de entrega. Isso ocorre porque está relacionado:

  • à disponibilidade de veículos;
  • à etapa de expedição de pedidos;
  • ao planejamento da rota de entrega;
  • ao aproveitamento do espaço do veículo.

Além disso, esse resultado reflete na forma como os custos operacionais são distribuídos em cada entrega. Assim, basta calcular o peso total das encomendas enviadas pela capacidade total dos veículos utilizados.

3. Percentual de pedidos completos e no prazo

Esse indicador é mais conhecido pela sua sigla em inglês OTIF que representa a expressão On Time, In Full. Em termos simples, esse KPI indica as entregas realizadas dentro do prazo e na quantidade esperada pelo cliente.

Contudo, muitas vezes não é possível atender a essas especificações, o que resulta em pedidos com entrega parcial. Nesse caso, é necessário realizar mais de uma viagem para atender a essa demanda aumentando, assim, os custos de frete.

Portanto, é mais vantajoso manter esse resultado em patamares elevados para manter o preço do frete mais competitivo.

4. Acuracidade do inventário

Um dos aspectos que mais afeta o processo de entrega é a disponibilidade de estoque para atender aos pedidos. 

O cenário mais preocupante é a falta de mercadorias. Quando isso acontece, não é possível atender ao pedido em sua totalidade causando, assim, insatisfação no cliente. Para otimizar essa atividade é recomendado contar com um sistema de gestão desenvolvido para gerenciar, com precisão, os níveis de estoque.

5. Prazo médio de entrega

Uma logística eficiente tende a ser medida em termos de prazos de entrega cada vez mais curtos. Por isso, o monitoramento desse indicador ajuda a compreender como as atividades são executadas para levar o pedido até o cliente.

Como resultado, é possível estimar com precisão o tempo de viagem em cada rota e fornecer uma janela de entrega para os clientes que desejam essa informação.

Essa medição não fica restrita somente à contagem dos dias entre a colocação do pedido de frete até a entrega. A análise pode ser expandida para incluir fatores como a incidência de avarias, mercadorias rejeitadas e o prazo de entrega por pedido.

Todos os exemplos de indicadores de desempenho que listamos neste artigo dependem de dados confiáveis para a sua elaboração. Uma das formas de aumentar a confiabilidade é a utilização de sistemas de gestão que possibilitam o registro das atividades logísticas. Por isso, avalie o potencial de inovação e crescimento que o investimento em novas tecnologias pode trazer.

Este conteúdo foi útil para você? Então, compartilhe-o em suas redes sociais para que seus amigos também fiquem por dentro do assunto!

Posts relacionados

Deixe um comentário