Conheça as vantagens da gestão de pneus e como fazê-la

6 minutos para ler

O transporte rodoviário de mercadorias é conhecido pelos seus custos elevados com a manutenção da frota, o abastecimento e a substituição de peças. Nesse cenário, a atividade de gestão de pneus tem se tornado uma aliada na otimização dos resultados da operação.

A adoção desse processo contribui para a melhor utilização dos recursos disponíveis e a redução dos custos ocasionados pela falta de planejamento da substituição de pneus. Além do impacto financeiro, a transportadora também tem a oportunidade de desenvolver iniciativas sustentáveis que contribuem para a conservação do meio ambiente e criam um diferencial estratégico.

Por isso, se você tem interesse em conhecer as vantagens desse processo e pretende implementar esse controle na sua empresa, este artigo foi feito para você. Continue lendo para conhecer todos os detalhes!

Quais são as vantagens da gestão de pneus?

Na atividade de movimentação de mercadorias, os pneus desempenham três funções principais: impulsionar, frear e manter a dirigibilidade do veículo em diversas condições. Portanto, a sua conservação é um elemento de segurança tanto para o condutor como para a carga — o que, por sua vez, ajuda na compreensão do seu papel estratégico para a qualidade dos serviços logísticos.

Por esse motivo, a gestão de pneus apresenta várias vantagens quando executada de forma adequada. Confira os principais benefícios.

Ajuda a reduzir custos

Essa é uma atividade essencial para a operação logística. Afinal, a aquisição de pneus consome 12% dos custos da frota, ficando somente atrás dos gastos com combustíveis e manutenções nesse ranking.

Proporciona o aumento da durabilidade

Pneus que são mantidos em boas condições de trafegar têm a sua vida útil prolongada, o que reduz a frequência com a qual devem ser substituídos. Essa mudança é uma oportunidade de economia que se estende por toda a frota.

Reduz a necessidade de reparos

O bom funcionamento da frota depende da forma como os pneus são utilizados. Um pneu descalibrado interfere com todo o sistema de eixo e suspensão, além de causar o desiquilíbrio do veículo em curvas acentuadas. Por isso, o cuidado preventivo ajuda a minimizar os reparos que poderiam deixar o veículo ocioso.

Contribui para a segurança da viagem

Uma das formas de prevenir imprevistos durante a viagem é garantir que os pneus sejam utilizados de acordo com as recomendações do fabricante. Com isso, o condutor não está exposto a riscos que podem interromper a viagem e, nos casos mais graves, causar acidentes.

Diminui o consumo de combustível

A gestão de pneus afeta também a forma como o veículo consome combustível enquanto está em operação. É possível perceber uma redução considerável, pois a calibragem correta reduz a resistência ao rolamento, o que possibilita menor esforço para o sistema do motor e ignição.

Como colocar a gestão de pneus em prática?

Quando o gestor começa a acompanhar a utilização dos pneus com o intuito de melhorar o seu gerenciamento, é importante contar com alguma forma de controle e registro. A princípio, a utilização de uma planilha eletrônica supre essa necessidade, mas já existem ferramentas que automatizam esse processo. Em seguida, é possível dar os primeiros passos.

Realize vistorias periódicas

O caminhoneiro é o profissional que tem maior familiaridade com o veículo, o seu funcionamento e eventuais problemas. Por isso, muitos caminhoneiros tem o hábito de vistoriar os pneus antes e depois das viagens e, sempre que possível, nos postos de parada.

Porém, o gestor de frotas também deve ter esse controle. A nossa recomendação é adotar o hábito de inspecionar os pneus com periodicidade com o intuito de:

  • observar a integridade da borracha;
  • checar a pressão no interior da câmara;
  • verificar a existência de perfurações e vazamentos;
  • avaliar as marcações dos sulcos, que podem apontar a necessidade de substituição.

Para aumentar a compreensão dos resultados, é possível elaborar indicadores que representam os resultados obtidos e registram o histórico das informações para consultas futuras.

Implemente um projeto de manutenção preventiva

Vale ressaltar que o consumo de pneus não é um fenômeno isolado. O seu desgaste, na maioria das vezes, é causado por fatores relacionados à conservação do veículo. Eixos desalinhados, por exemplo, são a principal causa de problemas relacionados aos problemas pneumáticos.

Quando isso acontece, o pneu é arrastado, aumentando o atrito gerado com o pavimento, o que gera o desgaste prematuro. Por esse motivo, a realização de manutenções de caráter preventivo garante uma excelente relação custo-benefício, pois evitam a incidência de defeitos e aumentam o rendimento do veículo.

Mantenha registros do estoque de pneus

Para que esse processo seja bem-sucedido, planejamento é a palavra-chave. Utilize as recomendações dos fabricantes de pneumáticos para verificar o seu desgaste de acordo com o período e a quilometragem rodada.

Para as empresas que fazem o uso de pneus reformados ou recapados, é ainda mais importante conhecer o comportamento desse material para antecipar com precisão o momento da sua troca.

Crie um cronograma de rodízio de pneus

Ainda que em condições ideais, é possível que um pneu sofra mais desgaste do que os demais no mesmo conjunto. O mesmo acontece ao realizar a sua substituição periódica. Para que esse processo apresente melhores resultados, é necessário ajustar o alinhamento de todos os eixos para evitar o desequilíbrio que discutimos no tópico anterior.

Mesmo em transportadoras que realizam um controle rigoroso dos pneus, o surgimento de deformações na carcaça ainda é uma possibilidade. Portanto, observe se há a formação de bolhas ou cortes que poderiam causar um estouro.

Problemas com os pneus manifestam sinais claros, como a falta de estabilidade e vibrações no volante. Nesse caso, fique atento a essas mudanças para tomar providências a fim de corrigir o problema com agilidade.

Por fim, nossa principal recomendação tem relação com a criação de hábitos e o desenvolvimento de uma cultura organizacional que favoreça a adoção da gestão de pneus. Muitas vezes, iniciativas de melhoria não geram os resultados esperados por falta de disseminação de novas ideias e de incentivo à participação da equipe.

Você quer conhecer outros exemplos de processos da operação logística que podem ser melhorados de forma simples? Então, confira estas 6 dicas para otimizar o romaneio de entregas na sua transportadora!

Posts relacionados

Deixe um comentário