10 dicas essenciais para otimizar a gestão de abastecimento na sua empresa

6 minutos para ler

Existem diversas maneiras de fazer a gestão de abastecimento, sendo esse um dos custos mais elevados no transporte de cargas. Logo, é preciso ter o seu controle para ganhar competitividade no mercado.

Afinal, o preço dos combustíveis segue regras de paridade internacional e câmbio, com frequentes oscilações. Desse modo, é necessário ser proativo nas manutenções, troca ou rodízio de pneus, controle de peso, entre outros.

Pensando nisso, separamos 10 dicas para você realizar esse controle na sua empresa. Continue a leitura.

Saiba a importância de otimizar a gestão de abastecimento na sua empresa

A gestão de abastecimento é relevante porque ajuda no desenvolvimento da empresa. Fatores como natureza da carga, origem e destino, local da origem, perfil da empresa e do cliente são fundamentais na hora de fazer o planejamento dos processos logísticos dessa etapa.

Afinal, esses dados auxiliam a gestão de frota e demais fases relativas ao transporte de cargas, facilitando o acompanhamento e mensuração com precisão do desempenho de tudo diariamente. Uma vez que isso esteja monitorado, é possível reduzir custos, evitar desperdícios, melhorar o planejamento e, consequentemente, aumentar os lucros. Isso também possibilita verificar as atividades logísticas, o atendimento dos clientes, a carga horária dos colaboradores, gerenciar custos etc.

Veja 10 dicas de como fazer a gestão de abastecimento

Infelizmente, não dá para controlar as flutuações dos preços dos combustíveis, porém você pode adotar medidas que geram economias, reduzindo os impactos negativos — claro que sem perder a qualidade dos seus serviços. Confira a seguir.

1. Trace rotas inteligentes

O sistema de roteirização trouxe inovação para a gestão de frota. Sendo que ele foi desenvolvido com a finalidade de identificar o melhor trajeto para atender a base de clientes de uma empresa. Assim, a plataforma avalia trechos perigosos, horários de picos, locais com acidentes e ainda determina a menor distância para minimizar a quilometragem percorrida.

2. Abasteça com produtos confiáveis

Após traçada a rota, deve-se encontrar postos confiáveis para que o motorista não abasteça com combustível de baixa qualidade, pois isso prejudica o veículo fazendo-o perder potência, rendimento e peças.

Peça a opinião dos condutores para avaliar esses locais, já que os profissionais têm mais conhecimento por estarem direto na rodovia. Inclusive, peça a eles para solicitarem ensaios de qualidade e vazão da bomba nos postos com objetivo de conferir a procedência do produto, sobretudo naqueles de bandeira branca.

Depois, entre em contato com esses estabelecimentos para formalizar uma parceria que proporcione prazos diferenciados de pagamento, desconto nos preços e relatórios de abastecimento para o seu controle de custos.

3. Use o combustível adequado

Caso o caminhão tenha tecnologia Euro 5, deve ser abastecido com diesel S10. Isso é fundamental devido ao Programa de Controle de Emissões Veiculares por Veículos Automotores. Do contrário, poderá causar danos ao sistema de pós-tratamento, comprometendo o desempenho e elevando o consumo. Por fim, use o Agente Redutor de Líquido Automotivos para não prejudicar o meio ambiente.

4. Oriente o motorista sobre a condução segura

Não adianta nada utilizar a tecnologia se não houver um investimento no treinamento dos motoristas. Por isso, promova cursos sobre maus hábitos em frenagem brusca, aceleração em excesso, troca de marchas erradas etc. Ademais, não se esqueça de tratar sobre o consumo e a segurança do caminhão.

Empregue o sistema de telemetria veicular para acompanhar a rotação por minuto, a direção sem marcha engatada, aceleração, frenagem, curvas bruscas, entre outros. Esses indicadores mostrarão as falhas e o que o treinamento deve corrigir.

5. Controle o peso da carga

Não sobrecarregue o peso dos veículos, pois isso gera mais consumo de combustível. Considere enviar mais de um caminhão para fazer a mesma rota, se for possível, pois, além dos gastos com o consumo, a empresa terá problemas com a fiscalização, pneus, a produtividade da viagem e demais dificuldades relativas ao transporte da carga.

6. Planeje manutenções preventivas

Um dos fatores para o negócio de transportes ser bem-sucedido é não ter um veículo parado. Assim, é essencial planejar as manutenções preventivas para que pequenos problemas sejam reparados com agilidade e não atrapalhem os deslocamentos.

Enquanto eles estiverem parados, aproveite para verificar se há necessidade de manutenção, com o objetivo de deixá-lo em dia para que você possa retornar a rotina com os motoristas. Examine as trocas de óleo, de fluidos, inspecione os pneus, mangueiras e o que mais for necessário. Inclusive, confira quais peças ainda estão na garantia para fazer as trocas.

7. Evite o tempo ocioso dos veículos

Quando os caminhões ficam longos períodos parados, eles estão gerando custos. Na verdade, o indicado é desenvolver o rodízio correto dos veículos para que todos fiquem em atividade e evitando perda de peças e componentes que podem se desgastar apenas com a ação do tempo.

8. Faça uma previsão de gastos

Faça a previsão das despesas começando pelo planejamento de rotas e escolha da frota. Afinal, cada caminhão tem seu consumo. Dessa forma, você ajudará a evitar desperdícios ao abastecer os veículos.

9. Tenha registro de dados

Não são todas as organizações que registram as rotas percorridas pelos condutores, incluindo as paradas não planejadas, os riscos na estrada, entregas atrasadas entre outros. Manter esses registros garante ao gestor uma visão global do funcionamento da logística, mostrando claramente em quais etapas há gargalos. Com essas informações, fazer os ajustes necessários para aumentar a eficiência será algo muito facilitado. Sendo assim, o monitoramento se torna uma ferramenta estratégica do negócio.

10. Crie uma política

Desenvolva uma política de metas, estabelecendo os meios e prazos para serem atingidos. Para isso, descreva os serviços prestados e determine as diretrizes. Por exemplo, regras que os colaboradores devem cumprir, direitos deles e compensação dos clientes.

Portanto, para ter uma gestão de abastecimento eficiente é imprescindível investir em um software de gestão para logística com módulo de frotas, pois isso aumentará a produtividade e simplificará o gerenciamento.

Esse recurso oferece diferentes controles sobre manutenção, consumo e emissão de ordens de serviço, como também a roteirização de entregas para planejamentos de rotas e demais atividades relativas ao transporte de cargas. Diante disso, você conseguirá um melhor gerenciamento de custos e de margem de lucro em todas as viagens porque haverá diversos indicadores aliados à tecnologia.

Ficou interessado? Entre em contato com nossa empresa que daremos todas as informações que você precisar.

Posts relacionados

Deixe um comentário