Qual a importância de fazer o controle interno e externo de combustível?

7 minutos para ler

Para que uma operação possa ser mantida em pleno funcionamento na empresa, é fundamental realizar um levantamento sobre os principais custos e o seu impacto no preço do frete. Estamos falando do abastecimento da frota e como é essencial acompanhar o seu consumo por meio do controle interno e externo de combustível.

Essa é uma prática que ajuda a identificar como o combustível é utilizado e otimizar o seu uso durante o trajeto. Para isso, é importante que o gestor analise qual é o modelo de abastecimento mais favorável, pois, nesse cenário, uma diferença de centavos pode representar uma economia significativa.

Para que você conheça mais sobre esse processo e entenda como adotar esse conceito em sua empresa, preparamos este post com as principais informações sobre o assunto. Continue a leitura e conheça todos os detalhes!

Abastecimento interno e externo: como diferenciar?

Sabemos que reduzir o consumo de combustível na empresa, e ainda sem comprometer a qualidade dos serviços logísticos, é um grande desafio. Essa é uma das responsabilidades mais importantes dos gestores, pois a frota é o patrimônio que possibilita o desempenho das atividades e, como tal, requer cuidados para manter a sua capacidade produtiva.

Pensando nisso, as transportadoras podem optar por dois modelos distintos de abastecimento dos veículos de acordo com a suas necessidades. Saiba mais sobre eles a seguir.

Abastecimento interno

Como o próprio nome já sugere, esse modelo é utilizado pelas empresas que investiram em um sistema de abastecimento interno próprio. Para isso, é criado um espaço muito semelhante aos dos postos de combustível externos, porém em menor escala e sem a necessidade de um sistema de pagamento.

Além disso, é necessário estabelecer uma infraestrutura para que o posto possa funcionar com segurança. As bombas ficam localizadas em uma área especial para o abastecimento da frota conforme os veículos são preparados para seguir viagem.

As regras são elaboradas pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), órgão que fiscaliza como esse posto pode operar. A integridade física da equipe é mantida por meio da prevenção de vazamentos e defeitos nas bombas ou tanques que possam causar acidentes.

Há também uma preocupação ambiental, com o intuito de evitar contaminações no solo e na água. Por todos esses motivos, fica claro que essa não é uma alternativa acessível a todas as empresas que atuam com o transporte rodoviário de mercadorias.

Vantagens do abastecimento interno

Essa iniciativa é motivada pelo fator financeiro, uma vez que a transportadora adquire gasolina, álcool ou diesel diretamente junto ao distribuidor. Isso faz com que os preços praticados sejam mais competitivos, o que reduz os custos relacionados ao consumo de combustível.

O gestor ainda tem a confiança de que o produto utilizado é de qualidade e não sofreu nenhum tipo de adulteração. Além disso, um posto no perímetro da transportadora proporciona mais agilidade à empresa, pois permite que os veículos iniciem a sua viagem sem a necessidade de deslocamento e paradas em outros locais.

Abastecimento externo

Essa é uma das formas mais tradicionais de adquirir combustíveis para a frota. O abastecimento externo consiste na utilização de postos de combustíveis que comercializam esse recurso em todo o território nacional.

Nesse caso, os motoristas tem a prerrogativa de abastecer o veículo com frequência para concluir as entregas. Mesmo que o tanque esteja cheio no início da viagem, é difícil prever como será o consumo e pode haver a necessidade de adquirir mais combustível.

Esse é um dos maiores obstáculos para as empresas que desejam criar um controle minucioso de gastos. Isso ocorre devido à falta de informações sobre o quanto foi gasto pelo motorista de fato e o quanto é devido em caso de ressarcimento de despesas.

Vantagens do abastecimento externo

Existem soluções para as empresas que desejam aumentar a confiabilidade dos registros dessas transações. A primeira alternativa é a criação de parcerias junto a postos credenciados, em que informações sobre o abastecimento são coletadas. Esse também é um fator que ajuda a acompanhar a localização do veículo e da carga.

Há ainda transportadoras que preferem conceder aos condutores o cartão abastecimento. Esse é um recurso que funciona como um cartão pré-pago destinado ao pagamento das despesas com combustíveis no decorrer do trajeto. Essa é uma grande vantagem, pois a empresa tem acesso a preços promocionais devido à elevada frequência de utilização.

Além de uma ampla rede de atendimento, essa opção possibilita o registro eletrônico de informações importantes, como:

  • identificação do veículo;
  • local e data de parada;
  • valor cobrado pelo posto;
  • quilometragem percorrida;
  • quantidade de combustível adquirida.

Essa alternativa é amplamente utilizada para aumentar o controle do negócio, tanto financeiro quanto de indicadores de produtividade.

Como reduzir custos com o controle interno e externo de combustível?

Atualmente, a tecnologia é a principal aliada de empresas que desejam exercer um controle sobre os seus custos para ampliar os lucros. Por isso, é importante conhecer como o controle interno e externo de combustível funciona na prática e quais são suas vantagens para as transportadoras.

Evite a sobrecarga do veículo

Você sabia que o peso da carga embarcada afeta também a forma como o veículo consome combustível durante o trajeto? É comum tentar aumentar o volume de entregas concluídas fazendo uso da tática de ultrapassar a capacidade do compartimento de carga.

Embora pareça rentável, essa ação gera prejuízos a longo prazo. Além de causar o desgaste prematuro de peças, pneus e componentes, o excesso de peso ainda aumenta o consumo de combustível.

Nos casos mais graves, essa prática pode causar acidentes nas estradas e deve ser evitada devido à possibilidade de gerar prejuízos.

Otimize o trajeto de entrega

Os sistemas de roteirização já conquistaram espaço no segmento logístico devido a sua capacidade de otimizar o trajeto de entrega. Essa ferramenta funciona com base nos destinatários dos pedidos para criar a rota mais ágil ou mais econômica.

Essa funcionalidade pode ser utilizada para planejar tanto as coletas como as remessas das mercadorias. Além disso, é possível evitar rotas arriscadas, vias em más condições e o tráfego pesado com base nesses parâmetros.

Esse fator permite estimar com precisão a data de entrega, o que contribui para oferecer uma experiência positiva aos clientes.

Escolha os veículos da frota de maneira adequada

Mesmo com veículos em constante utilização, é possível dimensionar a frota para diminuir gastos. Por exemplo, veículos novos têm maior capacidade energética, utilizam recursos com maior eficiência e requerem manutenções com menor periodicidade.

Além disso, se a maioria dos clientes está na área urbana, os veículos de menor porte podem circular com maior facilidade, ou seja, utilitários e carros de passeio podem substituir caminhões.

Soluções tecnológicas também ajudam a ampliar bastante a qualidade do controle interno e externo de combustível. Por isso, sua adoção na rotina de trabalho é essencial. Esse monitoramento ajuda e evitar desperdícios e garante que não ocorram perdas no fluxo de abastecimento.

Após refletir sobre as vantagens e desvantagens de cada opção, que tal conhecer a solução que pode auxiliar o seu negócio no acompanhamento desses gastos? Saiba que o Quinto Eixo atua com o desenvolvimento de ferramentas completas para a gestão de frotas e pode fazer toda a diferença em seu negócio. Visite o nosso site e conheça mais sobre nossos serviços!

Posts relacionados

Deixe um comentário