controle de manutenção de frota controle de manutenção de frota

Controle de manutenção de frota: 5 ações para reduzir custos

6 minutos para ler

Inicialmente, o controle de manutenção de frota pode parecer se enquadrar na categoria de custos com a operação de transportes. Contudo, é importante compreender que o seu caráter preventivo contra danos e acidentes representa, na verdade, uma fonte de economia. 

Quem implementa esse tipo de iniciativa percebe que, no decorrer do tempo, é possível aumentar a vida útil da frota e otimizar o consumo de combustível. Por isso, se os seus gastos com os veículos já ultrapassaram o seu orçamento, está na hora de repensar como minimizar os custos operacionais. 

Melhore os resultados da sua empresa com as recomendações que separamos para você. Confira! 

Qual é a importância da manutenção de frotas?

Os veículos de uma transportadora são considerados um dos elementos mais importantes da operação, afinal, eles viabilizam a distribuição de mercadorias pelo modal rodoviário. Estamos falando de todos os tipos de frotas, desde motocicletas para percorrer pequenas distâncias até caminhões que circulam por todo o Brasil. 

Com isso, surge a necessidade de implementar cuidados para garantir que a frota está em pleno funcionamento. Isso ocorre devido à sua relação direta com o desempenho de toda a atividade logística, pois a realização de manutenções periódicas está relacionada: 

  • à conservação da frota; 
  • à incidência de defeitos; 
  • à interrupção temporária da operação; 
  • ao atendimento dos prazos de entrega; 
  • à ocorrência de acidentes nas estradas. 

Sob esse ponto de vista, as ações voltadas para a manutenção preventiva podem ser caracterizadas como uma forma de minimizar os custos de forma significativa. 

Como aplicar o controle de manutenção de frota na prática?

Diversos fatores podem comprometer o funcionamento da frota e cabe ao gestor minimizar o seu impacto em todas as etapas do transporte. O excesso de peso da no compartimento de carga, o comportamento do motorista na direção e até mesmo o tráfego nas vias públicas podem ser prejudiciais.

Por isso, listamos 5 dicas para desenvolver uma metodologia de trabalho voltada à preservação deste patrimônio tão relevante.

1. Acompanhe a necessidade de reposição de peças 

Muito se fala sobre o momento ideal de realizar a manutenção dos veículos. Contudo, estabelecer uma periodicidade universal pode ser um desafio para os gestores. Cada componente do veículo tem suas próprias particularidades, o que requer a necessidade de um controle rigoroso. 

Os pneus, por exemplo, tendem a sofrer um desgaste considerável, já que estão em constante operação. Já os filtros de ar seguem a recomendação do fabricante, utilizando a quilometragem como parâmetro para determinar a necessidade de troca. Portanto, utilize esse momento para fazer um levantamento dos itens que requerem substituição em curto prazo. 

2. Crie um check-list de componentes importantes 

Uma das formas mais simples de desenvolver o hábito de manter a frota conservada é a criação de um checklist com os principais componentes dos veículos. Por exemplo, entre viagens, é importante anotar a quilometragem percorrida, seja manualmente ou por meio de sistemas. 

O estado dos pneus, bem como a sua necessidade de substituição, também podem ser observados com base em registros anteriores. Essa medida fornece dados sobre a sua durabilidade diante das condições das estradas e viagens.

Portanto, os itens que merecem a sua atenção para o bom funcionamento dos veículos são:

  • filtros;
  • bateria;
  • suspensão;
  • sistema de freios;
  • troca de óleo e fluidos;
  • sistema elétrico e lâmpadas;
  • cabos, correias e mangueiras.

Assim, é possível elaborar um cronograma que descreve a precisão da necessidade de substituição para extrair o melhor desempenho da frota.

3. Minimize o consumo de combustível

A relação entre veículos em bom estado de conservação e o consumo de combustível é clara. Gestores experientes entendem que quando componentes como velas e cabos de ignição, filtro de ar e sonda lambda funcionam corretamente, a tendência é diminuir o consumo de combustível.

Essa é uma fonte de economia importante, pois o abastecimento da frota representa o maior gasto nas transportadoras. Muitas vezes, defeitos dessa natureza causam problemas de partida e falhas na ignição que aumentam a necessidade de combustível no motor. Além disso, como esses elementos funcionam de forma interligada, é comum que o funcionamento irregular afete outras peças.

4. Adote a manutenção preventiva

O ditado que afirma que prevenir é melhor do que remediar tem um fundo de verdade no que diz respeito à gestão de frotas. Nesse cenário, o custo da manutenção corretiva — aquela que acontece após o dano custa significativamente mais do que a manutenção preventiva.

Por exemplo, se o defeito ocorrer durante o trajeto, o motorista fica em uma situação complicada, pois nem sempre é possível localizar profissionais para realizar reparos de urgência.

Caso não seja possível prosseguir com a viagem, a empresa deverá arcar com os custos de disponibilizar outro veículo para concluir as entregas. Todo esse processo leva tempo, o que causa atraso no envio das mercadorias. Além disso, o conserto depende da disponibilidade de peças, o que pode levar vários dias para serem obtidas.

Nesse período, o veículo vai permanecer ocioso, aumentando os custos e sobrecarregando os demais motoristas que devem manter o cronograma de entrega.

5. Conte com o suporte da tecnologia

Processos se tornam cada vez mais precisos e confiáveis com a utilização de ferramentas informatizadas e com a gestão de frotas não poderia ser diferente. Essa é uma alternativa de investimento para quem deseja utilizar a automação como aliada com o intuito de:

  • agilizar processos;
  • controlar o estoque de peças;
  • avaliar os gastos com a frota;
  • mensurar indicadores de desempenho;
  • vistoriar peças e equipamentos importantes.

Com isso, a sua empresa se torna cada vez mais qualificada e profissionaliza os serviços de frete prestados. Tal investimento é uma fonte de melhoria que contribui para fortalecer a relação com clientes e conquistar mais espaço no mercado.

A nossa proposta com a criação deste artigo foi reforçar que, executado de forma contínua, o controle de manutenção de frota pode trazer resultados positivos. Independentemente de qual seja a situação da sua empresa, se conta com oficina própria ou se terceiriza esses serviços, é importante manter a gestão no ambiente interno.

Se você gostou das informações deste post, que tal compartilhá-lo nas redes sociais?

Posts relacionados

Deixe um comentário