Cargas fracionadas: veja o que fazer para otimizar esse transporte

6 minutos para ler

Quando o assunto é a distribuição de mercadorias, as empresas têm duas opções quanto à configuração das mercadorias: as cargas de lotação e as cargas fracionadas. Esta última é a opção utilizada com maior frequência no segmento de varejista, tanto em lojas físicas como virtuais.

Essa característica faz com que as transportadoras conquistem mais oportunidades de negócio trabalhando com esse tipo de frete. Porém, não podemos deixar de lado os riscos da operação e a necessidade de planejamento estratégico para garantir a qualidade do serviço.

A seguir, falaremos um pouco mais sobre como esse processo funciona na prática e listaremos dicas que podem ser adotadas para conquistar a sua otimização. Aproveite!

O que é o transporte de carga fracionada?

A carga fracionada é aquela que não ocupa toda a capacidade do veículo. Com isso, há a necessidade de embarcar múltiplos pedidos para aproveitar melhor o espaço. Do ponto de vista dos clientes, o pagamento do serviço é feito de forma rateada, com base nas características da carga.

Em termos simples, um frete é considerado fracionado quando o transportador embarca mercadorias de origens diferentes com destino a vários clientes. Esse aspecto faz com que a sua execução seja mais complexa e, como resultado, suscetível a erros.

Nesse caso, a transportadora realiza a coleta das mercadorias junto a seus clientes, que são levadas para o seu depósito para separação e processamento. Nessa fase, é feito o registro das cargas com o intuito de consolidar os pedidos e planejar as rotas de entrega.

Também é emitida a documentação de frete como o CT-e e o manifesto de carga. Após essa etapa, o motorista está apto para iniciar a viagem e realizar o envio dos pedidos conforme a programação.

Como otimizar a operação de cargas fracionadas?

Essa modalidade de transporte ganha complexidade devido ao volume de mercadorias em circulação e o quantidade de destinatários a serem atendidos. Por isso, as transportadoras estão focadas a gestão das cargas e na redução dos riscos dessa operação.

Além de um processo seguro e eficiente, existe um compromisso com a produtividade que ajuda a minimizar os custos. Isso possibilita a otimização das entregas e a conquista de novos clientes.

Cumpra com os prazos de entrega

Um dos principais indicadores de desempenho da movimentação de mercadorias é o cumprimento dos prazos de entrega. Esse fator é avaliado pelas empresas que contratam os serviços das transportadoras, bem como pelos clientes que recebem as suas encomendas.

Por esse motivo, é essencial que o fluxo de mercadorias seja programado com o intuito de manter as remessas em dia e os clientes satisfeitos. Se a sua empresa enfrenta dificuldades com a execução dessa tarefa, negocie prazos mais longos ou reveja as rotinas de trabalho para eliminar gargalos.

Planeje as rotas de entrega

O processo de informatização faz com que a transportadora possa usufruir de sistemas que ajudam a otimizar o processo de envio de produtos. Uma das ferramentas que merece destaque é o sistema de roteirização.

Essa ferramenta utiliza um algoritmo parametrizado para criar o caminho mais ágil e econômico. O software também pode levar em consideração restrições como entregas somente em dias de semana ou janelas de recebimento específicas.

Quanto maior for a disponibilidade de informações sobre as cargas, mais preciso será o trajeto traçado. Essa ação busca maximizar o número de pedidos enviado durante a duração da jornada de trabalho do motorista.

Atente-se ao acondicionamento da carga

A qualidade dos serviços logísticos é medida, entre outros aspectos, pela integridade física da carga. Para isso, é essencial garantir que o cliente receba o seu produto em perfeitas condições.

É nessa última fase da entrega que danos podem ocorrer. Quando isso acontece, o cliente pode solicitar a devolução do pedido, o que acarreta em novos custos com a logística reversa. Para contornar essa situação, é importante implementar medidas preventivas. Uma dessas ações tem relação com o empilhamento das embalagens.

As caixas devem ser agrupadas por tamanho, com as maiores na base e as menores no topo da pilha. Se possível, organize esse espaço de acordo com ordem das entregas, assim, o motorista não perde tempo procurando produtos e prolongando o tempo de descarga.

Escolha o veículo correto

O principal aspecto dessa modalidade é a capacidade de aproveitar o dimensionamento da frota. Isso quer dizer que as transportadoras utilizam veículos de pequeno porte ou utilitários para concluir as entregas.

Essa escolha faz sentido, principalmente nos grandes centros urbanos, devido à facilidade de trafegar, à disponibilidade de locais de estacionamento e ao tempo de descarga. Essa etapa é chamada de last mile, ou última milha, e corresponde à etapa da viagem com destino ao consumidor.

Isso faz com que a sua eficiência e agilidade afetem diretamente a experiência de compra do cliente e sua percepção sobre a qualidade da empresa ou fornecedor.

Busque equilibrar os custos

Em um frete com carga completa, a apuração dos custos tende a ser mais simples, porque a empresa atende apenas a um cliente por vez. Isso facilita o cálculo, já que o valor a ser cobrado pelo serviço tem como base:

  • a distância a ser percorrida;
  • o peso da embarcado;
  • as dimensões da embalagem.

Por outro lado, as cargas fracionadas tendem a ter tamanhos e pesos diversos, o que requer cuidados maiores na precificação. Além disso, as distâncias entre o ponto de origem e o local de entrega variam significativamente.

Portanto, o gestor logístico deve estabelecer parâmetros para garantir que a política de preços seja compatível com os custos operacionais e com a margem de lucro. Essa iniciativa tem mais chances de sucesso quando a empresa tem o suporte de um software de transportadora. Esse investimento contribui para facilitar a gerenciamento das áreas de finanças, fiscal e de gestão da frota. Por esse motivo, uma parceria com a nossa empresa pode ser o diferencial que faltava.

Para ajudar com essa atividade, os nossos sistemas são desenvolvidos pensando nessa rotina, como é o caso do Quinto Eixo. Com isso, é possível programar as coletas, consolidar as cargas e emitir documentos fiscais. O sistema é ideal para as transportadoras que buscam uma gestão inteligente e o equilíbrio da relação custo-benefício desse investimento.

A otimização das cargas fracionadas é apenas um dos passos na busca por serviços cada vez mais organizados e confiáveis.

O que você achou desse artigo? Conseguiu assimilar bem como o transporte fracionado funciona? Se ainda ficou alguma dúvida ou se você tem interesse em ler mais sobre as nossas soluções preencha o formulário no site para receber o contato de nossos consultores!

Posts relacionados

Deixe um comentário